Aprendendo a aprender: Como criar uma rotina de aprendizados para alavancar os seus resultados

Você decidiu aprender algo novo ou adotar um novo hábito, mas depois de umas duas semanas... Neste artigo você irá aprender o segredo para criar uma rotina de aprendizados e desenvolver a constância necessária para alavancar seus resultados.

Sumário

Aprender parece uma tarefa muito simples, certo?

Você mesmo já aprendeu tanta coisa na sua vida, não é mesmo?

Mas já parou pra pensar no processo envolvido nesse aprendizado? E como esse processo se modificou ao longo da sua vida?

Quando você aprende o mecanismo envolvido no processo de aprendizado, você consegue utilizá-lo de uma forma mais sábia e eficaz.

E assim ele irá lhe ajudar a adquirir novos hábitos e conhecimentos como se estivesse instalando um novo software na sua mente.

Aprenda o que é neuroplasticidade

O artigo de hoje irá lhe trazer uma série de conhecimentos novos, então prepara e vamos ao primeiro: o que é neuroplasticidade?

De forma bastante simplificada, é a capacidade que nosso cérebro tem de criar “novos caminhos” para a transmissão de informações entre os neurônios.

Quanto mais utilizado for esse novo caminho, mais frágil as conexões antigas ficarão.

Agora vamos a outro conceito importante…

Homeostase e a zona de conforto

Homeostase é um nome muito assustador, certo?

Mas esse é só o nome dado para um conjunto de processos que ocorrem no nosso organismo para que as nossas funções internas se mantenham constantes, mesmo com as variações externas do ambiente.

Ou seja, o objetivo é manter o equilíbrio.

Quando trazemos para esse conceito para os nossos comportamentos temos a “homeostase comportamental” e tenho certeza que você já ouviu falar sobre isso com outro nome: ZONA DE CONFORTO.

Nem sempre ela é uma zona “confortável”, mas sim uma situação de equilíbrio.

Alí já conhecemos e estamos acostumados às atividades e às consequências de cada uma delas, por isso não fazemos nada para que isso mude.

O que acontece quando saímos do equilíbrio?

A área fora do equilíbrio é chamada de área alostática.

Nessa área o nosso corpo entra em estado de alerta e aumentam os nossos níveis de cortisol e de estresse.

Por isso tendemos a retornar ao equilíbrio o mais rápido possível.

Por exemplo, se você não se sente confortável falando em público e precisa ministrar um treinamento para uma equipe.

Provavelmente, suas mãos começarão a suar, seus batimentos cardíacos ficarão acelerados e a sua ansiedade irá aumentar.

Dependendo de como foi essa experiência anteriormente para você, o seu primeiro instinto pode ser até mesmo o de fuga.

Para crescer é preciso entrar em movimento

Quando analisamos, é justamente na zona de desequilíbrio e “caos” que está a zona de crescimento e aprendizagem.

Porque é nessa situação que você terá a oportunidade de criar novas sinapses.

Mas é preciso ter atenção!

Lembra da última vez que você decidiu voltar a fazer uma atividade física?

Você deu 110% de si mesmo na academia. E no outro dia você mal conseguia sentar…

Eu sei, já aconteceu comigo exatamente isso.

Quando exageramos no “desequilíbrio” acabamos fadigando o nosso corpo.

O mesmo acontece nos estudos.

De repente, você decide que vai estudar 5 horas por dia, todos os dias. E aí duas coisas acontecerão:

  1. O cérebro não vai conseguir reter a maior parte das novas informações.
  2. Vai ser quase impossível manter esse ritmo de estudos e transformar essa atividade em um hábito.

A melhor forma de aprender

Quando começamos a sair aos poucos da zona de conforto, adquirimos novos conhecimentos e estabelecemos novas sinapses, é como se fossemos também expandindo a área homeostática.

Dessa forma, o nosso novo equilíbrio passa a englobar novos conhecimentos, habilidades e hábitos.

Agora vou te contar um segredo: o seu cérebro não consegue diferenciar muito bem a ficção da realidade.

Por isso, quando você se imaginar na situação que irá te tirar da zona de conforto, muito provavelmente seu corpo irá começar a apresentar as mesmas reações que teria caso estivesse nessa situação real.

Fazer um exercício de visualização pode ajudar o seu cérebro a se dessensibilizar e a ir se acostumando com essa situação, aumentando assim a sua zona homeostática.

O segredo para aprender algo novo está em praticar isso em pequenas doses, todos os dias.

Catalise o aprendizado com dopamina

Outro pulo do gato para te ajudar a manter a constância é conhecer a sua motivação.

Um estudo já demonstrou que o nosso cérebro libera mais dopamina durante a execução de uma tarefa quando temos um objetivo a ser alcançado com ela.

E, muitas vezes, ela é liberada em maior quantidade durante a própria execução do que quando recebemos a recompensa.

Então defina o seu porquê e comece a praticar em doses homeopáticas!

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!
Pesquisar

Posts Recentes

Categorias

Nossas Redes Sociais