Como obter repertório em meio a tantos algoritmos

Você tem a impressão de que está dentro de uma bolha em que todo mundo só fala sobre mesmo assunto? Isso acontece por causa dos algoritmos que têm controlado as nossas vidas. Neste artigo vamos refletir sobre o perigo de ficarmos dependentes deles para a aquisição de novos repertórios e o que você pode fazer para lidar com isso.

Sumário

Tudo vira repertório.

Desde aquele vídeo curto numa rede social, até o último artigo científico lido sobre uma pesquisa importante da sua área.

Só temos uma barreira a ser superada nos dias de hoje: os algoritmos.

Vamos usar esse artigo para refletirmos um pouco sobre como eles têm influenciado a nossa aquisição de conhecimento e como nós podemos superá-los.

A influência do algoritmo

Houve uma época que nós não escolhíamos o que iríamos assistir.

Parece surreal, mas é a verdade.

Nós sentávamos na frente da televisão e consumíamos o conteúdo que a emissora tivesse escolhido transmitir.

Já que a emissora precisa atingir todos os públicos. o conteúdo é muito diverso.

Isso tornava a própria televisão um instrumento gerador de repertório diversificado.

Hoje consumimos conteúdos pela tela dos nossos celulares e todas as redes funcionam através de algoritmos.

Se você interage com um conteúdo constantemente, o algoritmo entende que você se interessa por aquele assunto.

A partir daí, você é bombardeado com textos, fotos, vídeos, anúncios sobre esse assunto.

Dessa forma, você acaba dentro de uma bolha gerada artificialmente, onde só se fala de um tema específico.

A importância de diversificar o repertório

Era uma vez dois patos conversando. Um disse “quack” e o outro respondeu “quack”. Depois de um tempo chegou um terceiro pato que disse “quack quack”, mas ele foi expulso da conversa por ter mudado de assunto.

Para criar relacionamentos e conexões com as outras pessoas ao nosso redor é preciso encontrar pontos em comum.

Como você, líder, vai se conectar com seu time que fala sobre “quack quack”, se você só conhece “quack”?

Além disso, entender muito de um assunto só é a melhor forma de destruir a sua criatividade.

Será impossível ter uma ideia inovadora, se você sempre se baseia nas mesmas informações.

Quer ver um exemplo prático?

Certa vez, na farmácia, estávamos buscando uma forma de melhorar a passagem dos pedidos do atendimento para o laboratório.

Eu estava quebrando a cabeça e não via como poderia otimizar o sistema que já tínhamos, mas não era suficiente.

Até o dia que fui em uma rede de fast-food, fiz um pedido e observei.

A moça do caixa registrou meu pedido no computador a sua frente e uma impressora na área de produção fez meu pedido ir diretamente para iria prepará-lo.

Uma solução simples, mas que, provavelmente, não teria encontrado se ficasse apenas focado em como os processos eram feitos dentro das farmácias.

E como adquirir repertório em meio aos algoritmos?

Seja um agente ativo na sua aquisição de repertório.

Esteja atento ao que está ao seu redor, mas não fique apenas esperando as informações chegarem até você, porque elas não irão chegar.

Busque por assuntos diferentes, leia conteúdos que são contrários aos que você costuma ler.

Escute, sem preconceitos, até mesmo pessoas que você discorda da opinião.

Estude um assunto que pareça sem aplicação imediata.

Tudo isso será bagagem para a construção de novas sinapses e novos caminhos neurais.

Garanto que o seu repertório e a sua criatividade irão lhe agradecer por isso.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!
Pesquisar

Posts Recentes

Categorias

Nossas Redes Sociais